Exit

19 de julho de 2016

Unesco nomeia Pampulha como Patrimônio Mundial da Humanidade

Arquiteto Oscar Niemeyer, idealizador da ACC, deixou sua marca no complexo

*com informações da EBC

O Conjunto Moderno da Pampulha conquistou, no último domingo (17), o título de Patrimônio Mundial da Humanidade. A decisão foi tomada durante a 40ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial da A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), realizada entre os dias 15 e 17 de julho, no Centro de Convenções de Istambul, na Turquia. A indicação da Pampulha foi ratificada pelos 21 países integrantes do comitê, por consenso, informou o Ministério da Cultura. Com essa decisão, o Conjunto da Pampulha, em Belo Horizonte, passa a ser o 20º bem brasileiro inscrito na Lista do Patrimônio Mundial.

Encomendado pelo então prefeito de Belo Horizonte Juscelino Kubitschek ao arquiteto Oscar Niemeyer, o conjunto modernista também contou com Roberto Burle Marx, que assina o paisagismo, e Candido Portinari, autor do painel externo de azulejos da Igreja de São Francisco de Assis, que é um dos principais cartões-postais de Minas Gerais, lembra o ministério.

Também participaram do projeto original o engenheiro Joaquim Cardozo e os artistas Paulo Werneck, Alfredo Ceschiatti, August Zamoyski e José Pedrosa. Construído nos primeiros anos da década de 40, o conjunto antecipa conceitos arquitetônicos que viriam a ser aplicados anos mais tarde na construção de Brasília.

Compõem o Conjunto Moderno da Pampulha a paisagem que se forma com a integração entre a Lagoa da Pampulha e sua orla, os jardins de Burle Marx, a Igreja de São Francisco de Assis, o antigo Cassino (atual Museu de Arte da Pampulha), a Casa do Baile (atualmente Centro de Referência em Urbanismo, Arquitetura e Design de Belo Horizonte), o Iate Golfe Clube (atual Iate Tênis Clube) e a Praça Dalva Simão (antiga Santa Rosa).

Igreja-da-Pampulha

A genialidade de Oscar Niemeyer nos traços da Igreja São Francisco.

O Ministério da Cultura lembra que o reconhecimento da Pampulha traz também o compromisso dos governos federal, estadual e municipal de valorizar, conservar e divulgar o patrimônio da humanidade. Em nota oficial, os ministérios das Relações Exteriores e o da Cultura destacaram que o comitê recomenda que o Brasil restaure elementos do complexo, amplie o plano de gestão para incorporar os compromissos assumidos no processo de avaliação da candidatura, estabeleça uma estratégia de turismo para a área e adote medidas para melhorar a qualidade da água da lagoa.

“Essas providências exigirão a ação conjunta dos governos federal, estadual e municipal, em harmonia com a comunidade local”, disse os ministérios, em nota.

“A Unesco, ao reconhecer o valor universal excepcional da Pampulha, considerou o conjunto como símbolo de uma arquitetura moderna distante da rigidez do construtivismo e adaptada de forma orgânica às tradições locais e às condicionantes ambientais brasileiras. Essa abordagem pioneira, fruto da colaboração entre Oscar Niemeyer, Roberto Burle Marx e Candido Portinari, entre outros grandes artistas, criou uma nova linguagem arquitetônica fluida e integrada às artes plásticas, ao design e à paisagem”, acrescentaram os ministérios.

Presidente da ACC participará de solenidade em comemoração ao reconhecimento

O Presidente da Associação Cavaleiros da Cultura, representante da família Niemeyer e Conselheiro Curador da Fundação Oscar Niemeyer, Carlos Oscar Niemeyer Magalhães, participará das comemorações alusivas ao reconhecimento do Conjunto Moderno da Pampulha como patrimônio cultural da humanidade.

A solenidade está marcada para o dia 22 de julho, às 19 horas, na Igreja São Francisco de Assis. “Como membro do conselho da Fundação Oscar Niemeyer e neto do Oscar, posso afirmar que estamos todos muito felizes com o reconhecimento de mais este importante monumento. Precisamos, agora, atuar no sentido de ajudar a manter o título”, ressalta Carlos Oscar.

O evento, organizado pela prefeitura de Belo Horizonte, deve ainda contar com apresentação da Orquestra de Ouro Preto, do Coral Cidade dos Profetas de Congonhas e da Vesperata da Diamantina. As atrações são oriundas das três cidades de Minas Gerais detentoras do título de Patrimônio Cultural da Humanidade. Hoje, Minas é o estado brasileiro que possui maior número de patrimônios culturais declarados pela Unesco.

Close
Go top