Exit

9 de agosto de 2016

Releitura das “Imagens do Grande Sertão”, de Arlindo Daibert é uma das mostras na 3ª FLRN

“Grande Sertão: Veredas” é mesmo uma fonte inesgotável. Após revolucionar a literatura a obra serviu de inspiração para milhares de artistas. A exposição Releitura das “Imagens do Grande Sertão”, que será exposta no Centro Cultural Professora Maria Pinto durante a 3ª Festa Literária, mostra uma dessas produções artísticas inspiradas em “Grande Sertão: Veredas”, a obra prima de Guimarães Rosa. Trata-se de um pequeno fragmento de uma série intitulada “Imagens do Grande Sertão”, de autoria do artista plástico juizforano Arlindo Daibert. (1952-1993).

Foram selecionadas para esta exposição a reprodução de obras produzidas através de técnicas diversas, inclusive as belíssimas xilogravuras de um universo de 51 imagens que compõe a coleção original produzida por Daibert, hoje pertencente à coleção Gilberto Chateaubriand (MAM-RJ).

(…) “O trabalho me parecia cada dia mais intrincado. Inegavelmente havia uma comparação constante com as experiências anteriores e o texto de Guimarães Rosa surgia como uma realidade totalmente diversa e autônoma se comparado a Lewis Caroll e Mário de Andrade. Claro. Havia a aproximação da experiência transgressiva, da criação literária, mas a experiência de Guimarães Rosa me parecia – guardadas as devidas proporções – mais próximas de Joyce do que dos outros dois. Além disso, Grande sertão: veredas vai se construindo como uma cosmologia, um belíssimo texto filosófico, onde são abordadas questões básicas do espírito humano.”

DAIBERT, Arlindo. Cadernos de escritos. 1995.

 

Close
Go top